Solucionática

Blog coletivo para compilação de jogos/atividades/problemas/exercícios e algumas elucubrações teóricas sobre Psicologia Cognitiva

Monday, June 12, 2006

JOGO DA TRILHA



Número de participantes: 2


Descrição:


Trilha é um dos mais famoso dos jogos da família conhecida como Morris, da qual faz parte também o Jogo da Velha. Tabuleiros do jogo foram encontrados no Egito (datando de 1400 AC), Srilanka (10 DC) e no navio viking Gokstad (900 DC).Durante o século XIV, tabuleiros sofisticados já apresentavam um formato de uma caixa baixa com as tampas presas por dobradiças, da qual um lado era usado como tabuleiro de xadrez, o outro como tabuleiro de trilha e quando aberta o seu interior servia como tabuleiro de gamão.


O tabuleiro do jogo está representado na figura acima. Cada jogador possui 9 peças de uma cor, preto e branco, por exemplo. As peças são posicionadas alternadamente nos pontos de intercessão das linhas, até que todas tenham sido posicionadas no tabuleiro. Então, cada jogador move na sua vez uma de suas peças ao longo de uma linha, deslocando-a de um ponto (intercessão), até um outro, que esteja vazio. Não é permitido pular peças, portanto só poderá ser feito um movimento se houver um ponto vazio vizinho a uma das peças.


Quando um jogador consegue realizar um moinho, ou seja alinhar três peças (não vale em curva) ele pode retirar do tabuleiro uma peça de seu oponente. Esta peça não volta mais para o jogo. Lembre-se que as peças que estiverem formando um moinho não podem ser retiradas.


Ganha o jogo aquele que conseguir reduzir o numero de peças de seu oponente a duas, ou bloquear todas as peças dele de forma que não possam mais se movimentar.


Neste tipo de jogo, o posicionamento inicial é fundamental para o desempenho do jogador durante a fase de movimentação. A tal ponto que uma partida pode ser perdida ou ganha em função deste posicionamento estratégico.


Elucubrações teóricas:


O jogo de trilha é um problema mal estruturado, fundamentado em raciocínio e estratégia, o julgamento e a tomada de decisão envolvem avaliar as oportunidades e selecionar uma escolha sobre uma outra.


Um tipo mais formal de pensamento, familiar aos estudantes da disciplina de lógica, é o raciocínio. O raciocinio pertence ao processo de tirar conclusões a partir dos principios e da evidencia (Wason & Johnson Laird, 1972), passando do que já é conhecido a inferir uma nova conclusão ou a avaliar uma conclusão proposta.


O raciocinio, frequentemente, é dividido em dois tipos - raciocínio dedutivo e raciocínio indutivo.


O raciocinio dedutivo é o processo de raciocinar a partir de uma ou mais declarações gerais, com relação ao que é conhecido, para alcançar uma conclusão lógica certa, que usualmente envolve uma aplicação expecífica da declaração geral.


Em comparação, o raciocínio indutivo é o processo de raciocinar a partir de fatos ou de observações específicas para alcançar uma provável conclusão para tentar predizer circunstâncias específicas futuras. O aspecto-chave que distingue o raciocínio indutivo do dedutivo é que não é possível alcançar uma conclusão lógica certa, apenas uma conclusão provável ou particularmente bem fundamentada.


Para saber mais:




STERNBERG, R. J. Psicologia Cognitiva. In: Gardner: Inteligências Múltipas. Porto Alegre: Artmed, 2000 pag 349.
Elaborado por:

Simone Meira

Izabel Arruda

Vilma Gomes

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home