Solucionática

Blog coletivo para compilação de jogos/atividades/problemas/exercícios e algumas elucubrações teóricas sobre Psicologia Cognitiva

Friday, June 23, 2006

SILVIO SANTOS VEM AÍ...

No Brasil e no mundo inteiro pessoas comuns ficam famosas em questão de minutos, como os participantes do Big Brother, porém há os que serão eternamente lembrados, como Silvio Santos.
“Silvio, desse jeito você não vai ser ninguém na vida. Só pensa em futebol". Aos 12 anos, essa era a frase que Silvio escutava todos os dias de sua professora da 5ª série, Maria Lourdes Bruce, da Escola Primária Celestino da Silva, na Rua do Lavradio, Centro do Rio de Janeiro. Como Silvio era torcedor do Fluminense, adorava contar histórias para os alunos sobre a atuação dos times de futebol. Silvio gostava mais de falar do que de estudar e por ironia do destino, acabou se tornando um dos maiores apresentadores do Brasil.
Segundo Arlindo Silva, que escreveu uma biografia de Silvio Santos, “o moleque era um zero à esquerda na escola, faltava à maioria das aulas e encarnava um pestinha com os colegas”. Como seu nome verdadeiro é Senor Abravanel, foi apelidado por seus colegas de Cenourinha.
A mãe, Rebeca Abravanel, apesar da rigidez, teve bastante trabalho com ele, pois o menino só queria saber de brincar na rua com os amigos e não dava sossego para ela. Vivia atrás do moleque com o chinelo na mão.
Alberto Abravanel, pai de Silvio, saiu da Grécia, fugindo do serviço militar, foi para França, onde foi preso e expulso por trabalhar como camelô. O destino escolhido foi o Brasil onde constituiu família. Devido às línguas que dominava, trabalhou como intérprete e assim sustentava sua família, mais tarde comprou uma loja para vender souvenirs. Tudo foi por água abaixo, quando Alberto viciou-se em jogos. Decepcionado, Silvio abandonou por dois meses a escola e passou a apostar em jogos de sinuca para ganhar o sustento.
Finalmente, aos 14 anos, deu o pontapé inicial em sua carreira, observando os camelôs. Silvio comprou uma capa para título de eleitor e chamou a atenção do público dizendo que era a última. Logo a vendeu e desta forma foi multiplicando seu capital.
Enquanto trabalhava como camelô, só não foi preso devido a sua aparência e boa voz. O fiscal que pretendia prendê-lo acabou dando-lhe uma chance de procurar emprego na rádio como locutor. Trabalhou durante um tempo como locutor, mas oportunista que era, achou que vender refrigerante e cerveja na barca para Paquetá, era mais rentável.
Logo Silvio Santos iniciaria na TV, e depois de algum tempo se tornaria uma ameaça às maiores redes televisivas da época.
Outra ironia que envolve Silvio Santos é que demonstra grande timidez em conversas individuais, no entanto à frente de um grande público sua timidez se transforma em carisma, fascinando sua platéia.
Se fôssemos avaliar a inteligência de Silvio Santos através de testes de QI, talvez seu desempenho não fosse superior à média. No entanto, sua trajetória nos mostra um homem extremamente habilidoso no trato com o publico, com facilidade de expressão verbal e conhecido internacionalmente.
O estudo da inteligência sempre despertou interesse nos pesquisadores, desde os testes que consideravam as capacidades psicofísicas (força física, coordenação motora e habilidade sensorial) como medidas da inteligência. Posteriormente, a concepção de inteligência de Alfred Binet o levou a investigar a compreensão, raciocínio, julgamento e invenção.
Entretanto, a noção de inteligência não se restringe a essas duas vertentes. Pesquisadores como Spearman, Thurstone, Guilford, entre outros, também desenvolveram teorias sobre a inteligência.
Uma das abordagens mais aceitas atualmente é a proposta por Howard Gardner. Sua teoria das inteligências múltiplas foi elaborada a partir dos anos 80 com a colaboração de pesquisadores da universidade norte-americana de Harvard. Gardner decidiu estudar o desempenho profissional de pessoas que haviam sido alunos de baixo desempenho escolar. Para Gardner “inteligência é a capacidade de resolver problemas ou elaborar produtos valorizados em um ambiente cultural ou comunitário”. Silvio Santos é um exemplo de profissional de sucesso que não foi um prodígio na escola. No entanto, ninguém duvida da sua inteligência em resolver problemas e criar produtos aceitos pela sociedade.
Gardner em sua teoria identificou sete tipos de inteligência: lógico-matemática, lingüística, musical, espacial, corporal-cinestésica, intrapessoal e interpessoal. Porém, não considera esse número definitivo.
Ao analisar as habilidades de Silvio Santos percebe-se que o seu sucesso revela uma combinação de inteligência interpessoal e lingüística, pois demonstra grande facilidade de interagir com o publico e de lidar criativamente com as palavras. Isso demonstra que sempre envolvemos mais de uma habilidade na solução de problemas embora existam predominâncias.
Segundo Gardner todos nascem com o potencial das várias inteligências. Talvez se a escola tivesse apresentado desafios que despertassem o interesse de Silvio Santos, seu desempenho teria sido superior. O que desenvolveu sua inteligência foi a necessidade de resolver problemas práticos, não problemas escolares.
Se já está mais do que provado que a inteligência não pode ser medida apenas pelas habilidades lógico-matemáticas e lingüísticas, por que ainda continuamos atribuindo tanto valor às medidas de desempenho escolar?

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home