Solucionática

Blog coletivo para compilação de jogos/atividades/problemas/exercícios e algumas elucubrações teóricas sobre Psicologia Cognitiva

Tuesday, June 13, 2006

UMA HISTÓRIA SOBRE INTELIGÊNCIA
Muito se fala sobre inteligência, sobre a arte de pensar e encontrar respostas para a solução de problemas. Mas afinal, em que consiste realmente a inteligência, ou o que significa ser uma pessoa inteligente? Vários teóricos tentaram responder a essas perguntas e defenderam suas idéias com teorias, tais como: As Escalas de Inteligência Stanford-Binet; as Escalas Wechsler; a Análise Fatorial; o Fator “g” de Spearman; a Teoria Triárquica de Sternberg; dentre outras mais.
Para termos uma noção das idéias defendidas por essas teorias, analisaremos a Teoria Triárquica de Sternberg, como exemplo de uma possível explicação do termo inteligência. Utilizaremos uma história fictícia para que possamos melhor representá-la.
“João, um homem de cinqüenta e quatro anos, possuía uma pequena oficina nos fundos de sua casa. Durante muitos anos, havia trabalhado em uma indústria, onde aprendeu a mexer com as máquinas que produziam peças de cerâmica. Agora já aposentado, e visando uma renda extra, trabalha em sua oficina com a ajuda de seus filhos. Ele cria utensílios que são necessários no seu dia-a-dia, desde coisas simples até as que requerem muito conhecimento e técnicas avançadas para sua construção; conhecimento este, que João não adquiriu com livros e estudo, mas sim com as experiências práticas que foram adquiridas com o passar dos anos. Certa vez, quando solicitado a consertar uma peça de motor do automóvel de seu amigo, João se deparou com uma situação inusitada. Por várias vezes havia consertado motores, mas aquele estava de tal forma que ele se sentiu confuso sobre o que fazer para solucionar o problema. Assim, analisou o motor, comparou-o com outros casos semelhantes e avaliou a situação. Depois de muito pensar, conseguiu encontrar uma solução simples para o problema. Usando a criatividade, retirou a peça danificada que estava atrapalhando o funcionamento do motor e logo percebeu que outra peça, criada por ele mesmo, iria funcionar perfeitamente naquela circunstância. Os conhecimentos adquiridos pela experiência anterior e somados a um pouco de criatividade, garantiram a João a possibilidade de solucionar uma questão conhecida mas que exigia um pouco mais do que somente um conhecimento analítico, ou prático, ou criativo; mas sim, uma junção de todos estes”.
Podemos assim, relacionar sua inteligência com a Teoria Triárquica da Inteligência de Sternberg (2000); a qual afirma sermos possuidores de uma inteligência movida por questões que se baseiam em três conceitos:
1º - Questões de ordem analítica: onde tentamos resolver problemas conhecidos, usando estratégias que manipulem os elementos de um problema ou as relações entre os elementos; (para isso, buscamos comparar, analisar);
2º - Questões de ordem criativa: onde tentamos resolver novos tipos de problemas criando soluções alternativas para resolvê-los; (onde inventamos, planejamos);
3º - Questões de ordem prática: onde tentamos resolver problemas que apliquem o que sabemos aos contextos cotidianos; (conhecimentos que aplicamos, usamos).
Essa teoria diz respeito ainda, à compreensão da inteligência em relação a três aspectos:
1º - Com o mundo interno da pessoa: que explica por quais meios ocorrem o processamento de informação ;
2º - Com a experiência: onde são verificados os diferentes níveis de conhecimento adquiridos através de experiências anteriores;
3º - Com o mundo externo: enfatizando a importância da experiência como uma forma de adaptação ao meio, ou seja, a busca através da prática de vida em ser bem sucedido na solução de problemas.
Assim, mesmo não tendo feito um curso específico para mecânica de automóvel, João possui conhecimentos desta área, porque utiliza o conceito de praticidade tentando resolver problemas do dia-a-dia, baseando-se também, em suas experiências anteriores (de outras vezes em que foi solicitado para resolver problemas semelhantes). Utiliza o conceito analítico, quando procura estratégias para solucionar o problema do motor que está com problemas no funcionamento ao mesmo tempo em que se baseia na característica de mundo interno, criando toda uma estrutura de como proceder a substituição da peça danificada. Ao constatar que aquela situação é mais complicada do que outras pelas quais já passou (experiência anterior), a característica mundo exterior, obriga-o a se adaptar a essa nova realidade, fazendo-o utilizar a criatividade para criar novas maneiras de solucionar aquele problema.
O que podemos deduzir com este exemplo, é que a inteligência se manifesta de diversas maneiras, por isso, há grande dificuldade em defini-la ou delimita-la. E quanto a explicação de como o personagem João adquiriu todos esses conceitos de inteligência apresentados pelo exemplo da história, avaliamos seguindo os preceitos do autor da Teoria Triárquica da Inteligência, Sternberg, o qual defende a idéia de que esse tipo de inteligência pode ser adquirido através do mundo externo (componencial); com as experiências até hoje adquiridas (experiencial) e com o mundo externo (contextual – adaptação e seleção a algo e de coisas novas).

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home